Notícias sobre o eSocial


Profissionais temem se prejudicar ao usar horário flexível, diz estudo

Por Edson Lopes| set 27, 2013
Os dados são de uma pesquisa da empresa de recursos humanos Mom Corps, realizada nos Estados Unidos, com mais de 800 pessoas. Segundo o levantamento, 75% dizem ter ‘ao menos um pouco’ de flexibilidade no trabalho, e 68%

A maioria dos profissionais considera a flexibilidade um aspecto importante no trabalho e acha que a empresa onde trabalha permitiria algum tipo de adaptação da rotina nesse sentido. No entanto, é grande o número de funcionários que acha que usufruir dessas opções poderia prejudicar suas chances de avançar na carreira.

Os dados são de uma pesquisa da empresa de recursos humanos Mom Corps, realizada nos Estados Unidos, com mais de 800 pessoas. Segundo o levantamento, 75% dizem ter ‘ao menos um pouco’ de flexibilidade no trabalho, e 68% acham que seus empregadores aceitariam mudanças na rotina por razões como cuidar da família, problemas de saúde ou mesmo preferências pessoais. No entanto, quase metade (47%) dos entrevistados concordam que, apesar disso, um pedido para ter mais flexibilidade no trabalho prejudicaria suas chances de avançar na carreira.

A CEO da empresa, Allison O’Kelly, diz que há um descompasso entre o que companhias dizem oferecer e as possibilidades que os profissionais se sentem confortáveis aproveitando. ‘Os funcionários ainda se sentem suscetíveis a perder oportunidades de crescimento ao pedirem alternativas a uma rotina fixa. Mas ao mesmo tempo, eles estão cientes de que há opções flexíveis no mercado’. Segundo os dados, 39% considerariam deixar um emprego que não fosse flexível o suficiente e 73% acham que a prática é um dos fatores mais importantes a serem considerados na hora de escolher um emprego.

Fonte: G1